University of Wisconsin Digital Collections
Link to University of Wisconsin Digital Collections
Link to University of Wisconsin Digital Collections
Ibero-American Electronic Text Series

Page View

Leroy, Claude E.; Albuquerque, Severino João Medeiros; Schil, Mary H. / Português para principiantes
(1993)

Lição 30,   pp. [329]-340


Page 338

entrar, e a empregada passava, vagarosa, encetando a subida de mais um lance de escada. Ele
respirou aliviado, enxugando o suor da testa com o embrulho do pdo. Mas eis que a porta interna do
elevador se fechou e ele comegou a descer.
-Ah, isso 6 que ndo!5 - fez o homem nu, sobressaltado.
E agora? Algu6m I  em baixo abriria a porta do elevador e daria com ele ali, em palo; podia
mesmo ser algum vizinho conhecido . . . Percebeu, desorientado, que estava sendo levado cada vez
para mais longe6 de seu apartamento; comeqava a viver um verdadeiro pesadelo de Kafka;
instaurava-se naquele momento o mais autMntico e desvairado Regime de Terror!
-Isso 6 que ndo - repetiu, furioso.
Agarrou-se A porta do elevador e abriu-a com forga entre os andares, obrigando-o a parar.
Respirou fundo, fechando os olhos para ter a momentAnea ilusdo de que sonhava. Depois
experimentou apertar o botdo do seu andar. Ld em baixo continuavarn a chamar o elevador. Antes de
mais nada: "Emergancia: parar." Muito bem. E agora? Iria subir ou descer? Corn cautela desligou a
parada de emergencia, largou a porta, enquanto insistia em fazer o elevador subir. 0 elevador subiu.
-Maria? Abre esta porta! - gritava, desta vez esmurrando a porta jAi sem nenhuma cautela.
Ouviu que outra porta se abria atrdis de si. Voltou-se, acuado, apoiando o traseiro no batente e
tentando inutilmente cobrir-se com o embrulho de p~o. Era a velha do apartamento vizinho:
-Born dia, minha senhora! - disse ele, confuso. - Imagine que eu...
A velha, estarrecida, atirou os bragos para cima, soltou um grito: "Valha-me Deus! 0 padeiro
estd nu!" E correu ao telefone para chamar a rddio-patrulha: Tem um homem pelado aqui na porta!
Outros vizinhos, ouvindo a gritaria, vieram ver o que se passava:
-E um tarado!
-Olha, que horror!
-Ndo olha, ndo! JA para dentro,7 minha filha!
Maria, a esposa do infeliz, finalmente abriu a porta para ver o que era. Ele entrou como um
roj~o8 e vestiu-se precipitadamente, ser nem se lembrar do banho. Poucos minutos depois,
restabelecida a calma I fora9, bateram na porta.
-Deve ser a polfcia - disse ele, ainda ofegante, indo abrir.
No era: era o cobrador da televisdo.
5 Ah, isso 6 que ndo! - Oh, no, not that!
6 cada vez para mais longe - farther and farther
' JA para dentro - Get inside
8 entrou . . . rojdo - he rushed in
9 restabelecida a calma lA fora - things having calmed down out there


Go up to Top of Page